Peru, eu volto

Por Ana Paula Moraes, jornalista

Lugares espetaculares, cultura, gastronomia e povo acolhedor.  Se gosta de drink, vai beber muito Pisco Sour. Se não, aproveite o Chicha Morada, refresco delicioso feito de milho roxo. Sim, compre blusa de lã de alpaca (não de lhama) bem colorida. É linda, quentinha e “no pica”. Não pinica.

Vale visitar tudo, até o que não está no roteiro. Lima, Cusco, Vale Sagrado, Águas Calientes, Machu Picchu, Puno, Lago Titicaca onde ficam as ilhas flutuantes de Uros e a ilha Taquile. No caso do Peru, fiquei com gosto de quero mais.

Lima mistura o antigo e moderno. Boa parada antes de seguir para Cusco. O Centro Histórico abriga o Palácio do Governo (tem troca de guarda), a Catedral de Lima, a Igreja e o Monastério de São Francisco, com as catacumbas resquícios do primeiro cemitério municipal de Lima, museus, e sítios arqueológicos.

A Casa de La Literatura Peruana http://www.casadelaliteratura.gob.pe/ funciona na antiga estação de trem Desamparados e prestigia os autores peruanos. Não estava no roteiro. A Vanessa, minha irmã, viu a professora com alunos pequenos caminhando rápido. Vamos seguí-los, escola não faz excursão para lugar chato. Fiz caras e bocas, não adiantou. Fomos atrás do último aluno.  Estava certa, claro!

Em Miraflores, a escultura O Beijo, no Parque del Amor junto ao Malecón, e restaurantes que servem a deliciosa comida peruana. Ah! tem o oceano pacífico. Dá pra ver do Larcomar (https://www.larcomar.com/), shopping a céu aberto. Aproveitei para degustar empanada no Tanta https://www.larcomar.com/tienda/tanta/

Em San Isidro, o Museu Larco https://www.museolarco.org/ para entender a história dos povos que viveram no Peru e a trilogia inca formada pelos três animais sagrados: o condor, o puma e a serpente. Tem ainda uma sala que mostra a arte erótica dos povos antigos. Os jardins são floridos, bem cuidados e no Café do Museu experimentei o mousse de lucuma. Fruta parecida com o nosso abacate.

Quem viaja comigo sabe que gosto de visitar mercado. Sempre tem de tudo. É uma fotografia do lugar, da vida das pessoas. Comida, bebida, roupa, sapato. O Mercado do Surquillo (Av. Paseo de la Republica, perto do cruzamento com Ricardo Palma) não é ponto turístico como o Mercado Inka, que tem artesanatos e roupas típicas. É o lugar certo para conhecer as frutas, os grãos, as pimentas e outras iguarias da culinária peruana.

Por indicação de uma amiga, fomos ao Barra Verde Restobar, no Morphology https://morphology.com.pe/barra-verde/ . Comida maravilhosa com insumos orgânicos colhidos nos jardins de Pachacámac, servida com água alcalina com PH 9.5. Nunca tinha bebido água tão pura. No prédio há um borboletário. Em tempo: tomei o pisco sour mais forte da viagem. Estava ótimo, mas perdi a visita na fazenda de borboletas. Anotado para a próxima.

Têm sítios arqueológicos na cidade e na região. Huaca Pucllana http://huacapucllanamiraflores.pe/,fica em Miraflores, e as ruínas pré-inca de Pachacámac, mais longe, 40 quilômetros de Lima. Sinceramente, visite os mais próximos.

Em Cusco, eu e meu estômago aprendemos uma palavra, soroche. Acredite, o mal da atitude existe. Localizada nos Andes Peruanos, a cidade está 3.400 metros acima do nível do mar. O alívio vem do chá de coca. Só não beba à noite, da insônia.  Comprei o Boleto Turístico Del Cusco com ingresso para 16 lugares, incluindo Vale Sagrado. Aprovado.

2 Comments on “Peru, eu volto”

  1. Que texto rico e gostoso de ler!! Igual Ana Paula com relação a sua viagem ao Peru, também fiquei com gosto de quero ler mais!!
    Parabéns à Martha e Marialva pela iniciativa do Nuestraamerica, está bonito e com ótimo conteúdo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *