Chile anuncia protocolo para entrada de estrangeiros por via aérea

Chile faz protocolo para reabertura por via aérea

Mais um país sul-americano se abre para viajantes. O Chile anuncia protocolo para entrada de estrangeiros por via aérea. Por enquanto, a entrada será feita apenas pelo Aeroporto Internacional Arturo Merino Benítez, na Região Metropolitana. E quem chegar ao país deve “comprovar que tem PCR negativo”. As informações são da agência oficial argentina Télam.

A subsecretária de Saúde Pública do Chile, Paula Daza, anunciou na terça-feira (10) um protocolo para permitir a chegada de estrangeiros por via aérea. Será de forma gradativa, acompanhada de medidas sanitárias para evitar a disseminação do coronavírus. A  doença tem cerca de 525 mil casos confirmados e já causou mais de 14.500 mortes no país.

Por enquanto, a entrada será feita apenas pelo Aeroporto Internacional Arturo Merino Benítez, na Região Metropolitana. Mas quem chegar ao Chile deve “comprovar que tem PCR negativo”. Segundo a subsecretária, embora isso “não garanta que a pessoa não esteja infectada, reduz a possibilidade que de um contato”.

Paula Daza ainda informou que não haverá restrição de acordo com o país de origem, independentemente da situação de saúde desse país. A abertura das fronteiras será no final de novembro, com a entrada em vigor de um novo decreto, anunciado na semana passada.

Chile anuncia protocolo, mas exige PCR negativo com até 72 horas

Daza acrescentou que quem viaja para o Chile deve apresentar teste PCR negativo em até 72 horas da coleta da amostra, em laboratório reconhecido pela autoridade sanitária local, além de passaporte sanitário. Além disso, será instalado um sistema de vigilância epidemiológica digital de viajantes por um período de 14 dias a partir de sua chegada ao país.

“O pilar mais importante de tudo isso é a vigilância epidemiológica de todos os viajantes. Assim, todas as pessoas devem se comprometer a divulgar seus sintomas em uma plataforma, para que possamos rastreá-los, e onde eles estão”, justificou Daza.

Os aeroportos chilenos estão fechados para viagens não essenciais desde 17 de março. Foi a partir do decreto presidencial do Estado de Exceção Constitucional de Catástrofe, devido à emergência sanitária de Covid-19.

As exceções à regra de entrada no país são emergências pessoais ou familiares, condições de saúde ou de trabalho, entre outras.

14,6 mil mortos por Covid-19 no país

Na terça-feira as autoridades de saúde notificaram 1.083 novos casos de infecção, o que significa um total de 523.907 casos confirmados desde 3 de março. Além disso, 23 novos óbitos também foram registrados, elevando o número para 14.611 mortes.

O Chile é o sexto país da América Latina com o maior número de casos confirmados, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O país atingiu níveis críticos em junho, quando apresentou pico de 6.938 casos no dia 14 e óbitos com 649 no dia 7. mesmo mês.

Entre maio e junho, além do pico de infecções e óbitos, o sistema hospitalar atingiu mais de 90% da ocupação dos leitos na Região Metropolitana.

Leia também: Argentina abre fronteiras aéreas para os países vizinhos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *